Voltar

sexta-feira, 17 de julho de 2020, 8h47

Notícias IBA

Você conhece as principais recomendações paraprevenção da COVID-19 nas propriedades rurais?

Abapa e Aiba desenvolvem cartilha com o objetivo de orientar trabalhadores das propriedades rurais sobre práticas essenciais para evitar a contaminação pelo vírus

Atualmente, todo o país está enfrentando grandes desafios por conta da disseminação rápida e, em muitos casos, perigosa do novo coronavírus. No mês passado, a Organização Mundial da Saúde e o Ministério da Saúde indicaram que as pessoas ficassem em quarentena, ou seja, reclusas em suas casas, a fim de diminuir as chances de propagação do vírus. Por isso, as empresas precisaram se organizar e decidir como enfrentar esta crise. Uma parte delas tem a possibilidade de permitir que seus funcionários trabalhem remotamente em suas casas. Outras tiveram de pausar suas atividades por um período ainda incerto.

Sabendo que cada profissional tem uma realidade diferente e alguns serviços não podem parar por serem essenciais à população – como é o caso dos agricultores e demais trabalhadores do campo -, como zelar pela saúde desses colaboradores e, consequentemente, de pessoas que acabam tendo contato com eles?

Pensando nisso, a Associação Baiana dos Produtores de Algodão (Abapa) e a Associação de Agricultores e Irrigantes da Bahia (Aiba) desenvolveram uma cartilha digital com uma série de boas práticas para contenção da doença nas propriedades rurais. A cartilha Cuidados e recomendações para prevenção da Covid-19 nas propriedades rurais aborda desde os cuidados mais básicos, como afastar das funções pessoas idosas e com doenças crônicas; disponibilizar água, sabão e álcool gel 70% para a higienização das mãos; evitar tocar no rosto ou cumprimentar com aperto de mão e beijos; até outras medidas mais específicas, como fazer revezamento de pessoal e alternar horário de entrada e saída, a fim de evitar muitas pessoas juntas ao mesmo tempo.

A cartilha contém também recomendações direcionadas para funcionários que ficam em alojamentos, orientando, por exemplo, que não saiam das fazendas, mesmo em período de repouso e, em casos inevitáveis, redobrar os cuidados, como trocar de roupa ao voltar para o local de trabalho e monitorar a temperatura por sete dias seguidos.

O presidente da Abapa, Júlio Cézar Busato, fala sobre a importância do material para os agricultores. “Muitas das sugestões e recomendações inseridas nesta cartilha foram coletadas de experiências já implementadas em campo em propriedades do Oeste da Bahia. Como o setor agrícola não parou por causa do coronavírus, a maioria das propriedades precisou se adequar rapidamente acerca das orientações das autoridades de saúde. Este guia pode ser considerado um norte do que já vem sendo realizado, com sucesso, nas propriedades, na tentativa de eliminar o contágio do coronavírus nas fazendas.”

Embora simples, essa iniciativa é de grande importância para dar suporte aos produtores de algodão neste período de crise. Reforçar essas medidas pode fazer toda a diferença, não somente para os trabalhadores das fazendas, mas também para a população de forma geral.

Para conferir a cartilha, acesse aqui.