Voltar

segunda-feira, 13 de abril de 2020, 5h01

Notícias IBA

Qualificação dos trabalhadores: a força da cotonicultura

Projeto da Ampa e IMAmt estima capacitar quase cinco mil pessoas no período entre 2019 e 2022

Desde 2012, a Associação Mato-grossense dos Produtores de Algodão (Ampa) e o Instituto Mato-grossense do Algodão (IMAmt) contam com o apoio financeiro do IBA para a realização de projetos focados em capacitação profissional. O Treinamento e Qualificação de Trabalhadores da Cotonicultura do Estado de Mato Grosso está em sua fase 4, que começou em fevereiro de 2019 e vai até janeiro de 2022, visando qualificar os trabalhadores das fazendas e das usinas de beneficiamento.

Os treinamentos são divididos em cinco áreas: agronômica, operação e manutenção de máquinas e equipamentos, beneficiamento de algodão, recursos humanos e segurança do trabalho. São cursos variados, como monitor de pragas – que é o mais procurado e frequentado –, manejo das culturas, sistema de plantio, fertilização do solo, armazenamento de agrotóxicos, operação e manutenção de máquinas, uso de plantadeira, pulverizador, tratores, colhedoras, aviação agrícola, gestão de umidade, eletricidade básica, hidráulica, pneumática, soldagem, caldeiraria, segurança na aplicação de agrotóxicos, informática, entre outros.

O coordenador de treinamentos do IMAmt, Carlos Ferraz, explica que o trabalho é intenso. “A Ampa atende seis regiões do Mato Grosso e, como a mão de obra na agricultura é bem rotativa, as demandas costumam ser altas e diversas. Além disso, novas tecnologias aparecem a cada ano e o setor precisa acompanhar. Mas para sermos mais efetivos, desde 2019 mudamos a forma de atendimento. Antes fazíamos o mesmo treinamento em todas as regiões e isso muitas vezes causava gargalos. Agora buscamos atender as demandas mais pontuais e distribuímos por sazonalidade, considerando época de plantio, desenvolvimento, colheita e beneficiamento; assim, os alunos podem praticar rapidamente o que viram na teoria.”

A expectativa é que esta fase atual do projeto Treinamento e Qualificação de Trabalhadores da Cotonicultura capacite 4.785 pessoas. Porém, esse dado pode mudar com a crise do coronavírus, que também impactou as ações devido ao impedimento de aglomerações. Carlos explica que quando tudo se normalizar, haverá uma nova avaliação para verificar se os prazos ou metas deverão ser ajustados. No entanto, pelos resultados já conquistados, o cenário ainda é positivo. “Se essa crise não se alongar muito, acredito que vamos poder cumprir o que está previsto atualmente no projeto”, explica o coordenador de treinamentos do IMAmt.

A Ampa e o IMAmt sabem o quanto é importante o investimento em pessoas, pois cada elo da cadeia produtiva tem um papel fundamental no resultado final do algodão. “A agricultura tem muitas vertentes e está tudo interligado, desde o trabalhador que prepara o solo até o que está no processo de beneficiamento. Se alguém não está capacitado e se perde, todas as etapas seguintes vão sendo prejudicadas, e isso reflete negativamente na qualidade da fibra. Capacitar é essencial para garantir a qualidade da matéria-prima”, reforça Carlos.

Você pode acompanhar os demais projetos financiados pelo IBA com foco em capacitação aqui.