Voltar

segunda-feira, 11 de novembro de 2019, 7h10

Notícias IBA

O futuro é agora: uso de tecnologia de ponta faz Abapa capacitar profissionais

Treinamentos para operadores de máquinas é sucesso e já bate a casa de 6 mil profissionais qualificados

????????????????????????????????????

Com o avanço da tecnologia, sobretudo no agronegócio, que nos últimos anos vem se transformando justamente por meio da inovação e modernização, se faz cada vez mais necessário qualificar os profissionais, para que eles consigam acompanhar a velocidade dessa transformação. Essa não é das tarefas mais fáceis, tendo em vista o perfil do segmento: geralmente concentrado em regiões distantes dos centros urbanos, locais onde há poucas opções de instituições de ensino.

Diante desse cenário, as instituições ligadas à cotonicultura, frequentemente, buscam alternativas para suprir essa carência e, assim, se manterem competitivos no mercado. Foi o que fez a Associação Baiana dos Produtores de Algodão (Abapa), o notar que a escassez de mão de obra qualificada era uma das maiores dificuldades para os cotonicultores da região do oeste da Bahia, em função da falta de conhecimento, principalmente para operar máquinas e implementos agrícolas de última geração utilizados na produção de algodão.

Com foco nisso, a Abapa, com o financiamento do Instituto Brasileiro do Algodão (IBA), ampliou as atribuições do seu Centro de Treinamento – Parceiros da Tecnologia (CT), localizado na cidade baiana de Luís Eduardo Magalhães. O local trouxe treinamentos direcionados à Operação e Manutenção de Máquinas, a partir de uma parceria entre a associação e as concessionárias de máquinas agrícolas Agrosul-John Deere, por meio do projeto de educação profissional da Abapa. O projeto também conta com o apoio do Fundeagro (Fundo para o Desenvolvimento do Agronegócio do Algodão), além das maiores instituições de ensino profissionalizante do país, Senar (Serviço Nacional de Aprendizagem Rural) e o SENAI (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial).

Atuando com exclusividade no segmento de mecanização agrícola, a iniciativa já totaliza mais de 6 mil trabalhadores capacitados e treinados para operar diversas máquinas e implementos, como tratores, plantadeiras, colhedoras, pulverizadores, pás-carregadeiras, retroescavadeiras e outras máquinas utilizadas na lavoura. Somente em 2019, mais de 1,1 mil operadores foram capacitados, um novo recorde desde o início dos treinamentos, em 2010.

O Centro de Treinamento da Abapa – Parceiros da Tecnologia (CT)

Cerca de 35 mil pessoas já passaram pelo CT, em quase uma década de existência. E o número de treinandos aumenta a cada ano: em 2019, por exemplo, mais de 14 mil pessoas participaram de cursos e palestras em diversas áreas, isto em mais de 450 eventos realizados.

“Com a criação do Centro, definitivamente, a Abapa tornou-se referência em capacitação profissional, sobretudo nas tecnologias empregadas à agricultura de precisão. Isso foi possível com o apoio do IBA, que nos proporcionou aporte financeiro para movimentar toda a cadeia produtiva”, comemora o coordenador do Centro de Treinamento da Abapa, Douglas Fernandes.

A Abapa continua ousando, agora com a finalidade de fazer do CT um polo integrado de educação, e avança com a implantação e oferta de cursos EaD (Ensino a Distância) na Bahia, como os de formação em Técnico em Agropecuária e Eletromecânica, além de outros que devem ser operacionalizados em parceria com universidades, institutos federais e o Sistema S. Além disso, a Abapa também firmou parceria com a Pirelli, que montou e disponibilizou um moderno laboratório de tecnologia de pneus agrícolas rodoviários no próprio CT. “Este foi o primeiro laboratório concedido pela fábrica da Pirelli com esse objetivo no Brasil e estamos contentes”, afirma Douglas.

Ainda de acordo com o coordenador do CT, em 2019, os treinamentos ultrapassaram as salas do Centro e chegaram até às escolas, levando informação de qualidade e técnica para os alunos da rede municipal de educação, com o intuito de evidenciar todas as oportunidades que são inerentes à agricultura moderna. “O agronegócio é inserido dentro das escolas por meio de nosso ‘Programa Educacional Conhecendo o Agro’. Assim, crianças e jovens compreendem o agronegócio numa relevância de escala local e global. Vivenciam e percebem que o setor vai muito além que o cabo da enxada, pois oportuniza transformar a vida das pessoas para melhor”, explica Douglas.