Voltar

quinta-feira, 12 de setembro de 2019, 8h45

Notícias IBA

Capacitar e qualificar: as chaves para a eficiência

Com foco na melhor produtividade e qualidade, cotonicultura investe em capacitação

O Brasil sofre com a falta de capacitação em diversas frentes de trabalho e muitos brasileiros não conseguem se atualizar profissionalmente na mesma velocidade do avanço tecnológico. Por isso, capacitar e qualificar mão de obra se tornou prioridade em todos os setores da economia, em especial nas atividades ligadas ao campo.

Essa necessidade é compartilhada em todas as associações ligadas à cotonicultura, um setor estratégico no agronegócio do País e com demanda crescente por pessoal qualificado. Na Associação Piauiense dos Produtores de Algodão (Apipa) não é diferente. A entidade, em parceria com o Instituto Brasileiro do Algodão (IBA), iniciou a segunda etapa do Programa de Qualificação e Aperfeiçoamento Profissional, cuja frente contemplará quatro áreas de conhecimento:

1) Recursos Humanos: promoção de encontros de RH.

2) Operação e manutenção de máquinas agrícolas.

3) Operação e manutenção de máquinas de beneficiamento de algodão.

4) Qualificação profissional de líderes e equipes das unidades produtivas.

A Apipa espera que os trabalhadores se capacitem para as operações e manutenções de máquinas agrícolas e desenvolvam habilidades e competências técnicas. Sobretudo, possam se sentir motivados a contribuir e sugerir melhorias nas operações, minimizando os retrabalhos e os desperdícios na produção.

Além disso, com a conclusão da Fase II do Programa de Qualificação Profissional, o objetivo é que os trabalhadores passem a ter o controle operacional das algodoeiras, visando maximizar a eficiência do processo e, consequentemente, minimizar custos. Desta forma, será possível melhorar a qualidade do beneficiamento e a tecnologia de operação e manutenção das máquinas que fazem parte do fluxo de beneficiamento do algodão.

Por fim, o projeto foca em capacitar trabalhadores para gerenciar e administrar pessoas e equipes para o alcance dos resultados esperados nas suas atividades, com o aperfeiçoamento das suas habilidades técnicas e comportamentais.

Na primeira fase do Programa, a associação realizou 130 cursos, totalizando 4.247 horas para 2.052 participantes. Na Fase II, as atividades serão desenvolvidas pela Apipa no decorrer de 24 meses, por meio de 37 cursos, 02 encontros de RH e implantação do Programa 5S em duas fazendas, totalizando 930 participantes e carga horária de 1.536 horas.